sexta-feira, 7 de julho de 2017

Ponte sobre o rio Itabapoana completa 90 anos


                                                                                     Claudia M. Borges Bastos do Carmo


Inauguração da ponte sobre o rio Itabapoana, 09 de julho de 1927 (1)



Quem atravessa a ponte sobre o rio Itabapoana, ligando Bom Jesus do Itabapoana (RJ) a Bom Jesus do Norte (ES), no centro, talvez não saiba, mas ela tem muita história para contar.

Há 90 anos, no dia 07 de julho de 1927, a ponte de cimento - um dos símbolos de nosso patrimônio histórico - ligando Bom Jesus do Itabapoana (distrito de Itaperuna, Rio de Janeiro) a Bom Jesus do Norte (distrito de São José do Calçado, Espírito Santo) foi inaugurada com a presença dos presidentes (Governadores) Feliciano Sodré (RJ) e Florentino Avidos (ES), ambos com grande comitiva.

Com 58 metros de comprimento e 7 metros de largura, via dupla, sua construção foi um marco no desenvolvimento das cidades, tendo sido iniciada em 1925, sendo o empreiteiro contratante da obra o engenheiro dr. Paulo Pereira Nunes, falecido em agosto de 1926 (2), e substituído por seu cunhado, dr. Alberto Couter Clark Filho. (3)



Ponte em construção, 1927. (4)




Com bandeiras ornamentando a estrutura, a inauguração da Ponte foi motivo de festa e teve repercussão nacional. As cidades programaram vários eventos aos convidados, desde festa pública na praça Governador Portela a almoço, jantar, baile e visitas a instituições como o Colégio Rio Branco e o Hospital São Vicente de Paulo. A data marcou também, oficialmente, o início do funcionamento da rodovia de automóveis Bom Jesus - Calçado e Bom Jesus - Santo Eduardo. 

Hoje, com o passar dos anos, essa importante e nonagenária ponte encontra-se mal conservada, esquecida, resistindo impavidamente às cheias do Itabapoana e ao trânsito diário intenso de pessoas e veículos, necessitando mais do que nunca de ajuda e reconhecimento de seu valor histórico e sua importância estratégica para a união entre essas duas cidades irmãs. 


CRONOLOGIA DA VISITA DOS PRESIDENTES A BOM JESUS EM 09.07.1927 (5)


O País, 21 de julho de 1927






CHEGADA A PONTE DE ITABAPOANA (ES). ENCONTRO DOS PRESIDENTES.


Nesta localidade tiveram os dois presidentes entusiástica recepção pelo povo, sendo saudados pelo dr. Nunos Santos Neves, promotor público de S. José do Calçado. 

8h - Florentino Avidos, presidente do Estado do Espírito Santo, chega no trem especial da Leopoldina, com grande comitiva: Dr. Lopes Ribeiro, secretário do Interior, Moacir Avidos, Benvindo de Novaes, secretário de Agricultura, diretor do serviço de melhoramentos de Vitória, Aristeu Aguiar, secretário da Presidência e major Barbeta da Rocha, ajudante de ordens, entre outros. 

10h – Feliciano Sodré, presidente do Estado do Rio de Janeiro, chega em trem especial vindo de Porciúncula, RJ, com grande comitiva: Dr. Pio Borges, secretário de Agricultura, Dr. Pereira Nunes, prefeito de Campos, deputados Joaquim de Mello, Álvaro Neves e Thiers Cardoso, entre outros.

Também tomaram parte na viagem: um operador da Botelho-Film; representante de "A Vida Doméstica"; o sr. Abílio Gomes Pereira da Motta, representante da "Gazeta de Notícias" e o Dr. Porphirio Henriques Filho, da "Gazeta da Tarde", de Campos.


"Entre vivas entusiastas e crepitantes aclamações, entre música, foguetes, formando um alarido de multidão contente, feliz na volúpia de aplaudir, deu-se o encontro dos dois Presidentes. Trocados os cumprimentos protocolares, os dois administradores se abraçaram fraternalmente, seguindo-se um movimento de amável cordialidade entre os membros representativos das duas comitivas. Foi um instante de interessada e simpática aproximação, em que almas dos dois Estados vizinhos, com uma longa e fecunda tradição de amizade se tocaram num vigoroso abraço de alegria. Em seguida os dois Presidentes, as suas comitivas e muitas outras pessoas tomaram o trem especial para Bom Jesus." (5)


Após o encontro em Ponte de Itabapoana, os presidentes seguiram de trem para Bom Jesus. Houve parada na Estação de Boa Vista (Apiacá) e em Ponte de José Carlos, com homenagens. 



CHEGADA A BOM JESUS


Chegada dos presidentes Feliciano Sodré e Florentino Avidos, com "imponente" recepção pelas populações de Bom Jesus do Itabapoana e Bom Jesus do Norte (7)








  11h - Chegada dos Presidentes do Estado do Rio de Janeiro e do Espírito Santo a Bom Jesus do Norte, sendo recebidos na praça da Estação: 


"A praça da Estação regorgitava de povo. Era uma enorme massa popular, que se agitava em vivas, palmas, aclamando, entre música e hinos escolares, os dois Presidentes.”


Recepção aos presidentes Avidos e Sodré (4)



- Hospedagem - A comissão promotora dos festejos, composta dos srs. Pedro Gonçalves da Silva, Cristiano Lopes e dr. Joel da Escossia, conduziu os dois presidentes para o palacete do sr. Carlos de Figueiredo Soares, onde se hospedaram juntamente com suas comitivas; ali foram recebidos pelos alunos do Instituto Mirabeau Pimentel, de S. José do Calçado, dirigido por Virgílio Rezende, cantando o Hino Espírito Santense, discursando duas alunas: Mercês Garcia e Maria José Machado.


13h - Almoço - Servido por "senhorinhas da alta sociedade bonjesuense. Mesa elegantíssima, serviço impecável, revestido de rara distinção, pratos caros e saborosos, doces finíssimos, e sobretudo uma gentileza cativante pairava sobre a sala encantando a todos com a sua graça e sedução".


Almoço oferecido em Bom Jesus ao dr. Moacyr Avidos, pelos srs. Christiano Dias Lopes, Joel da Escossia, Odilon Diniz, Heitor Nogueira, Octacilio de Aquino e Abelardo Vasconcellos (6)


INAUGURAÇÃO DA PONTE 

Inauguração da ponte sobre o rio Itabapoana, 09 de julho de 1927. Ao centro os presidentes Feliciano Sodré (RJ) e Florentino Avidos. Ponte de cimento após a inauguração (7)



"Os dois Presidentes, após o almoço, seguidos duma enorme multidão encaminharam-se para a ponte pelo lado do Espírito Santo, o povo do Estado do Rio veio pela outra margem encontrando-se no centro, debaixo duma arcada em que se lia numa face Salve Presidente Florentino Avidos e na outra Salve Presidente Feliciano Sodré. O dr. Bemvindo de Novaes, Secretário de Agricultura, pronunciou algumas palavras, entregando, depois de encarecer o valor inestimável do empreendimento, ao povo de ambos os Estados, o trânsito livre da ponte. O orador foi muito feliz na sua oração, expondo as vantagens da sólida construção com palavras precisas, exatas, numa linguagem clara e serena. Em seguida foi rompida a fita de praxe e o povo crepitou de entusiasmo , vivando os dois beneméritos governos.  No discurso aos presentes, como representante do povo fluminense, o dr. Octacílio de Aquino, advogado em Bom Jesus do Itabapoana, saudou os dois Presidentes, descrevendo a utilidade da ponte e o papel desse melhoramento na vida dos Estados limítrofes. E depois de uma série de considerações sobre a ação da política, a missão dos governos, terminou o seu discurso rendendo uma homenagem individual aos dois Presidentes. O dr. Octacilio de Aquino, além de advogado de raro merecimento, é um fino cultor das letras e um poeta delicadíssimo e, por isso, o seu discurso foi uma forte e bela página de boa e sã literatura."




Ponte de cimento após a inauguração (4)



"O Itabapoana, como se sabe, separa os dois Estados, criando, entre nós, esse interessante ambiente de fronteira. O aspecto em Bom Jesus é mais curioso porque o rio separa duas prósperas localidades que se defrontam e embora edificadas em Estados diferentes se completam.
Sobre o dorso do Itabapoana assentaram a ponte que, unindo as duas grandes unidades confederativas, permite um intercâmbio maior de produtos dos dois Estados, mais íntima comunhão de interesses, solidariedade mais ampla e eficiente. A linde natural que os separava, se não estabelecia duas populações rivais, pois que é impossível haver rivalidades entre os filhos da mesma pátria, fazia-os girar em órbitas particulares e regionais. A força expansiva do comércio, a inteligente compreensão das necessidades comuns por parte dos respectivos dirigentes, extinguiram a linha limítrofe que a natureza determinara. Obras de aproximação como essa dão relevo às administrações que a levaram a cabo, e dignificam as populações cujos intuitos de trabalho e ordem a ditaram." (6)



Após a inauguração:

- Visita à agência do Banco do Espírito Santo, recebidos pelo gerente dr. Cristiano Dias Lopes.

- Visita ao Hospital São Vicente de Paulo.

- Visita ao COLÉGIO RIO BRANCO.

- Passeio pela estrada de automóvel para S. José do Calçado.

- Em companhia do coronel Pedro Gonçalves da Silva, influente político local, os dois presidentes percorreram de automóvel várias ruas de Bom Jesus.





Aspecto da estrada de automóveis Bom Jesus a Calçado (4)


"À noite as duas povoações assumiram um aspecto encantador, destacando-se a praça Governador Portella, no Estado do Rio. É um jardim defronte da Igreja, limitado por duas ruas, numa das quais se encontra o Hotel Bom Jesus, onde se realizou o banquete oficial. O jardim enfeitado de lâmpadas elétricas de várias cores oferecia à vista um espetáculo deslumbrante. Um povo bem vestido e contente o enchia completamente, vibrando de alegria. Mulheres elegantes, formosíssimas, passeavam em grupos fascinantes de uma alameda a outra, dominando a praça com a magia da graça feminina. Na torre da igreja, que se ergue defronte da praça Governador Portela, uma imagem de Cristo, pregado numa cruz luminosa, parecia derramar um doce sorriso de bondade e de perdão sobre o povo que se divertia." (5)


"Ao chegarem à Praça Governador Portella foram delirantemente ovacionados. O Presidente Feliciano Sodré recebeu aclamação formidável do ardente povo fluminense. A alma popular explodiu de admiração pelo estadista e incansável lidador republicano que fez no seu glorioso Estado do Rio uma obra administrativa de eficientíssimo dinamismo construtor. 


9.07.1927. Aglomeração popular na Praça Governador Portela (6)








"Um orador surgiu dum automóvel dominando a
multidão com as suas primeiras palavras. Era o dr. Cesar Ferolla, clínico em Bom Jesus, que saudou o dr. Feliciano Sodré em nome do povo da sua terra. Falaram também ao povo o dr. Otacílio Ramalho, Fernando Abreu, Boanerges Silveira e, "fortemente emocionado" o Presidente Sodré(5)


9.07.1927. População acompanhando os discursos na Praça Governador Portela (6)











20h – Banquete no Bom Jesus Hotel, oferecido aos dois Presidentes e sua comitiva. (6)



O Banquete – Às 8h da noite teve lugar no Hotel Bom Jesus o banquete oferecido pelo povo de ambos os Estados aos dois Presidentes. À mesa em forma de U sentaram-se sessenta pessoas. Ofereceu o banquete aos homenageados o padre Mello, vigário de Bom Jesus. O padre Mello leu um discurso brilhante, cheio de beleza e de verdade. (5)


Além de Padre Mello, discursaram também o dr. Aristeu Aguiar, secretário da Presidência e o Dr. Feliciano Sodré, que encerrou com um brinde ao Presidente da  República dr. Washington Luiz. Após o banquete, baile no salão do mesmo hotel.



"Tocou durante o banquete uma excelente orquestra. Em seguida ao banquete realizou-se o baile num dos salões do mesmo hotel.
As danças muito animadas se prolongaram até alta madrugada, num ambiente de elegância, distinção e fina cordialidade." (5)

                          

                            10/07/1927 

 O REGRESSO


Na parte da manhã, após os últimos cumprimentos e despedida, os membros das comitivas partiram em doze automóveis para Santo Eduardo, inaugurando a estrada de rodagem de 32 km, antiga aspiração dos bonjesuenses, "facilitando assim as comunicações e a exportação de nossos produtos". 

Em Santo Eduardo, os presidentes dos Estados do Rio e do Espírito Santo embarcaram na Estrada de Ferro Leopoldina, seguindo viagem em trem especial para Vitória. (5)

"Meus Senhores, desde ontem que o Governo e o povo do Espírito Santo têm a insigne honra de hospedar em seu seio o eminente estadista que dirige os destinos da terra fluminense. Essa distinção que nos foi concedida teve por motivo a inauguração de uma obra, que embora singela na sua aparência e realidade, tem a grande significação de constituir mais um forte traço de união entre os dois Estados irmãos e amigos, qual é a ponte de Bom Jesus sobre o Itabapoana. Vindo à nossa fronteira consentiu o Sr. Presidente Sodré em nos conceder a grande alegria de vir até nossa Capital e percorrer mesmo alguns de nossos municípios." (5)




Fontes:

(1) Vida Doméstica, Agosto.1927

(1) O Malho, 30.07.1927 

(2) Mensagem apresentada pelo Presidente do Estado do Espirito Santo, Dr. Florentino Avidos, ao Congresso Legislativo, a 15 de Junho de 1928. 

(3) O Liberal, 16.01.1927

(4) Vida Capichaba, Maio.1927

(5) Diário da Manhã, 12.07.1927

(6) Vida Capichaba, 15.08.1927


(7) O Malho, 30.07.1927




Nenhum comentário:

Postar um comentário