sábado, 22 de abril de 2017

ECLB participa da 15ª Semana de Museus



     Com a exposição temporária “Objetos esquecidos no Tempo”, o Espaço Cultural Luciano Bastos (ECLB) participa, no próximo mês de maio, da 15ª Semana de Museus, evento promovido pelo IBRAM. A exposição estará aberta à visitação a partir do dia 16 de maio, às 9h.

      Para os mais jovens, a mostra será uma oportunidade de entrar em contato, pela primeira vez, com objetos que sequer conheceram. Para os mais velhos, um momento de relembrar uma época. Serão dezenas de equipamentos, antes insubstituíveis e hoje esquecidos, que ajudam a contar um pouco de nossa região, indicando como a sociedade foi se apropriando e relacionando com esses objetos.

      Não perca!



quarta-feira, 19 de abril de 2017

UMA INSTITUIÇÃO DE ‘PRESTÍGIO’ NO NOROESTE FLUMINENSE: O COLÉGIO RIO BRANCO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA E SUA CULTURA ESCOLAR

Qual foi a relação do Colégio Rio Branco (CRB) com o famoso Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro?

Que influência as reformas educacionais nacionais tiveram sobre a evolução desse educandário bonjesuense?

Como se relacionavam o Colégio e a sociedade local?

Como o CRB ajudou a fortalecer a luta pela emancipação política de Bom Jesus do Itabapoana?

Essas e outras questões são levantadas no artigo "Uma instituição de 'prestígio' no noroeste fluminense: o Colégio Rio Branco de Bom Jesus do Itabapoana e sua cultura escolar", publicado na Revista "Expedições: Teoria da História e Historiografia" (v.7, n.2, 2016)

O trabalho é parte do resultado da pesquisa realizada pela Mestre em Políticas Sociais pela UENF, Suelen Ribeiro de Souza, tendo como co-autoras suas orientadoras Silvia Alicia Martínez e Renata Maldonado da Silva.

Enfatizando o período de 1920 a 1971, o artigo apresenta fotos relacionadas com o ambiente escolar do CRB e entrevistas com ex-alunos, buscando também detectar como era a cultura escolar dessa época. Em interessantes depoimentos, os ex-alunos relembram momentos e pessoas marcantes em sua trajetória estudantil, como por exemplo, a Dona Carmita e a D. Vera.

D, Carmita na festa dos 50 anos do CRB, em 1970.

Segundo as autoras: "Apesar das exigências impostas pela D. Carmita, os egressos do CRB entrevistados demonstraram muita gratidão e carinho por ela e pelos excelentes professores que tiveram. Os alunos, ainda relembram os famosos 'estudos da D. Carmita' ".







Professora Vera com alunos da Turma Ginasial em 1972, no CRB
Uma das entrevistadas ressaltou as estratégias utilizadas por D. Vera, professora de português, para a revisão dos conteúdos aplicados em aula, "exigindo que passassem o caderno de aula a limpo".



O texto completo, ilustrado com imagens, está disponível em pdf na página da Revista:

RESUMO: Este trabalho analisou o percurso do Colégio Rio Branco (1920-2011), os aspectos marcantes da história da instituição e da sua cultura escolar. Instituição privada localizada no município de Bom Jesus do Itabapoana, no Noroeste Fluminense. O colégio foi responsável pela escolarização de grande parcela da população dessa localidade, com especial relevância para a oferta do ensino secundário de primeiro ciclo. O período estudado compreende os anos de 1920 a 1971. Inicialmente, no artigo, discutiram-se os conceitos de instituição escolar, cultura escolar e os temas de pesquisas em história da educação que surgiram no momento de renovação dos paradigmas, a partir da década de 1980. Em seguida, apresenta-se a trajetória da instituição e alguns aspectos da sua cultura escolar.


Suelen em sua pesquisa sobre o Colégio Rio Branco no ECLB, em 2015

Saiba mais sobre a pesquisa de Suelen Ribeiro de Souza sobre o Colégio Rio Branco: