domingo, 24 de junho de 2012

DRUMMOND NO MEIO DO CAMINHO: 2ª Oficina Literária do ECLB

A 2a. Oficina Literária do ECLB  intitulada "Drummond no meio do caminho", ministrada pelo Professor de Literatura e de Língua Portuguesa, Ator e Autor Adriano Moura, de Campos dos Goytacazes (RJ), superou as expectativas, levando os participantes a se sentirem motivados a se dedicar à literatura e fazer poesias.

Segundo Moura, Carlos Drummond de Andrade  pertenceu à geração de modernistas  da década de 1930, rompendo com as regras dominantes e escrevendo poesias sem métricas, sem rimas e com repetição do uso de termos. Acentuou, por outro lado, que "fazer poesia não é fazer confissão dos sentimentos, mas realizar a transposição do que sentimos em uma linguagem que venha a ter um alcance universal. Drummond foi o maior poeta brasileiro, mas foi expulso da escola por contrariar as regras da gramática", assinalou.

O oficineiro fez a introdução à obra de Drummond através de suas poesias "Poemas de sete faces", "Balada do amor através das idades" e "No meio do caminho".

Os participantes foram levados a criar poesias e a realizar uma encenação teatral, com base em texto drummondiano.

A professora Eliane Costa de Almeida, da Escola Estadual Horácio Plínio, de Bom Jesus do Norte (ES), assinalou que "é com a literatura que iremos conseguir fazer o mundo ser melhor", registrando ainda a importância do ECLB para a região. Participaram também da oficina a professora Vilma Correia da Silva, do Instituto Estadual de Educação Éber Teixeira de Figueiredo e da Escola Estadual Roberto Silveira, os membros da Academia Bonjesuense de Letras Paulo Xavier e Tereza Cristina Lima Nazareth, o escritor Mateus Verdan, os atores da Cia de Teatro América Latina Bianca Gonçalves, Hudson Furtado, Moacir Neto, Hyago de Paulo, William Valadão, Matheus Di Oliveer, Isadora Chiesa, Auxiliadora Carvalho, Adriana Peixoto e a advogada de Cachoeiro de Itapemirim (ES), Lucília Stanzani, entre outros.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

EXPOSIÇÃO "O BRASIL DE PORTINARI"

Réplica da obra de Cândido Portinari: "O Auto-Retrato"






Visite a Exposição de Réplicas de obras de Cândido Portinari, no Espaço Cultural Luciano Bastos

De terça a sexta-feira, até dia 29 de junho


Seminário sobre vida e obra de Portinari


Seminário com Professora Isabel Campos Reis
Abertura da Exposição dia 15 de junho de 2012: Prefeita Branca Motta, Secretários Municipais Sávio Sabóia e Sílvia Linhares, Diretora de Cultura Martha Salim, Vice-Presidente do ECLB Cláudia Bastos do Carmo e Dr. Gino Bastos


Alunos do Instituto de Educação apresentando Tela Viva. Animadores culturais: Pedro Salim e Netinha

Apresentação Musical - Abertura da Exposição dia 15 de junho de 2012. Martha Salim, Pedro Salim, Cherlea, Pininha, Carolina e Tonho ao violão

Aluna de Escola Municipal em Visita Escolar à Exposição dia 22 de junho de 2012

réplicas de obras de Cândido Portinari em Exposição








quarta-feira, 13 de junho de 2012

Exposição de réplicas de obras do pintor CANDIDO PORTINARI: “O Brasil de Portinari”

PONTO DE CULTURA PORTINARI/PROJETO PORTINARI
PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM JESUS DO ITABAPOANA
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
SECRETARIA MUNICIPAL DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO, TURISMO E CULTURA
ESPAÇO CULTURAL LUCIANO BASTOS

Convidam para a Exposição de réplicas de obras do pintor CANDIDO PORTINARI, com o tema: “O Brasil de Portinari” no Espaço Cultural Luciano Bastos


PROGRAMAÇÃO

SEMINÁRIO COM A PROFª ISABEL CAMPOS REIS
DATA: 13 e 14 de junho de 2012 (quarta-feira e quinta-feira)
HORÁRIOS: Das 8h30min às 12h30min. (Turma A)
                        Das 13h às 17h. (Turma B)


ABERTURA DA EXPOSIÇÃO
DATA: 15 de junho de 2012 (sexta-feira)
HORÁRIO: 19h30min


VISITA À EXPOSIÇÃO
DATA: 19 a 29 de junho de 2012 (de terça-feira a sexta-feira)

Agendamento de grupos.
Manhã: Sessão 1 – das 8h e 20min às 10h
              Sessão 2 – das 10h10min às 11h40min

Tarde: Sessão 1 – das 13h10min às 14h50min
            Sessão 2 das 15h às 16h30min.

Sua presença muito nos honrará!


domingo, 10 de junho de 2012

DRUMMOND E PORTINARI: DOIS GRANDES MESTRES BRASILEIROS


A MÃO
  Carlos Drummond de Andrade


Entre o cafezal e o sonho
o garoto pinta uma estrela dourada
na parede da capela,
e nada mais resiste à mão pintora.
A mão cresce e pinta
o que não é para ser pintado mas sofrido.
A mão está sempre compondo
módul-murmurando
que escapou à fadiga da Criação
e revê ensaios de formas
e corrige o oblíquo pelo aéreo
e semeia margaridinhas de bem-querer no baú dos vencidos.
A mão cresce mais e faz
do mundo-como-se-repete o mundo que telequeremos
A mão sabe a cor da cor
e com ela veste o nu e o instável.
Tudo tem explicação porque tudo tem (nova) cor.
Tudo existe porque foi pintado à feição de laranja mágica
não para aplacar a sede dos companheiros,
principalmente para aguçá-la
até o limite do sentimento da Terra domicílio do homem.

Entre o sonho e o cafezal
entre guerra e paz
entre mártires, ofendidos,
músicos, jangadas, pandorgas,
entre os roceiros mecanizados de Israel
a memória de Giotto e o aroma primeiro do Brasil
entre o amor e o ofício
eis que a mão decide:
Todos os meninos, ainda os mais desgraçados,
sejam vertiginosamente felizes
como feliz é o retrato
múltiplo verde-róseo em duas gerações
da criança que balança como flor no cosmo
e torna humilde, serviçal e doméstica a mão excedente
em seu poder de encantação.

Agora há uma verdade sem angústia
mesmo no estar-angustiado.
O que era dor é flor, conhecimento
plástico do mundo.
E por assim haver disposto o essencial,
deixando o resto aos doutores de Bizâncio,
bruscamente se cala
e voa para nunca-mais
a mão infinita
a mão-de-olhos-azuis de Cândido Portinari.


Confira filme com imagens de Portinari pintando Guerra e Paz realizado por Silvio Tendler, e leitura do poema "A Mão" feita pelo próprio Drummond. Um deleite disponibilizado pela Fundação Portinari:

http://www.youtube.com/watch?v=p5QWm4O7FPg&feature=relmfu

sábado, 9 de junho de 2012

2a. OFICINA LITERÁRIA DO ECLB: "DRUMMOND NO MEIO DO CAMINHO"

                        No meio do caminho tinha uma pedra
                        tinha uma pedra no meio do caminho
                        tinha uma pedra
                        no meio do caminho tinha uma pedra.

                        Nunca me esquecerei desse acontecimento
                        na vida de minhas retinas tão fatigadas.
                        Nunca me esquecerei que no meio do caminho
                        tinha uma pedra
                        tinha uma pedra no meio do caminho
                        no meio do caminho tinha uma pedra.
 Carlos Drummond de Andrade
In Alguma Poesia
Ed. Pindorama, 1930


"Drummond no meio do caminho" é uma oficina que desenvolve atividades e técnicas de expressão poética a partir de poemas do escritor mineiro Carlos Drummond de Andrade, que completaria 110 anos de nascimento em 2012. Os exercícios poéticos utilizados se originam de recursos expressivos e de temáticas comuns à obra do poeta de Itabira. Busca-se uma intertextualidade verbal e visual para que os versos de Drummond saiam das páginas de seus livros e ganhem novos significados nas mãos dos que, durante a oficina, não atuam apenas como leitores, mas também autores.

Com Adriano Moura, professor de Literatura e Língua Portuguesa, autor e ator teatral.

Sábado, 23 de junho de 2012, das 14h às 16h
Local: Espaço Cultural Luciano Bastos

Vagas Limitadas. Inscrição: R$40,00.
Facilitação para Alunos e Professores.
Informações: (22)3831-1056
                       espacoculturallucianobastos@ig.com.br

sexta-feira, 8 de junho de 2012

EXPOSIÇÃO "O BRASIL DE PORTINARI"

Réplicas digitais de um dos maiores nomes da pintura nacional, Cândido Portinari, estarão em exposição no ECLB de 15 a 29 de junho de 2012. 

A exposição é uma realização do Projeto Portinari, dirigido por João Candido Portinari, filho do pintor, e é uma ótima oportunidade para apreciar o Brasil através da visão de um dos mais influentes artistas plásticos brasileiros. Em Bom Jesus, conta com o apoio das Secretarias Municipais de Educação e Cultura.

Conheça mais sobre o Projeto e vida e obra de Candido Portinari:
Entrevista com João Candido Portinari:
http://agencia.fapesp.br/12986
Projeto Portinari:
http://www.portinari.org.br/ 
Abertura da Exposição: 15 de junho, às 19h30min
Período: 15 de junho a 29 de junho de 2012
Local: Espaço Cultural Luciano Bastos


sábado, 2 de junho de 2012

INSTALAÇÃO ARTÍSTICA: DICOTÔMICOS


Ocorreu dia 1º de junho, às 19h30min, na Sala da América Latina do Espaço Cultural Luciano Bastos, a concorrida abertura da 1a. MOSTRA DE ARTE CONTEMPORÂNEA, das arte-educadoras Márcia de Oliveira Rangel Paulista e Valéria Norde.
Valéria Norde e Márcia Paulista
Sob o título DICOTÔMICOS, as artistas, em sua estreia, conceberam seu trabalho em três aspectos. "Os paralelepípedos reunidos são uma metáfora do ser humano insensível, endurecido pela vida. Por este motivo, o lado onde se encontram as pedras está abandonado pelo público, que se sente atraído, por sua vez, pelos elementos naturais e artificias que mexem com o sensorial, dispostos no outro canto da Sala", explica Valéria.

Por outro lado, "a lâmina de água ao seu redor aponta para um espelho que permite que cada um possa olhar para si próprio e, dessa forma,  encontrar o caminho onde possa ser capaz de sentir o cheiro dos elementos, apalpar formas suaves, sentar-se em objetos macios e divertir-se com os mesmos, ou seja, tornar-se naquilo que deveria ser. As pessoas que adentram na exposição, vão se concentrar espontaneamente no lado sensível da obra", complementa Márcia.

Instalação Artística “DICOTÔMICOS” 

Por Márcia Paulista

A Arte Contemporânea é de difícil interpretação porque nem todos a concebem como Arte. Estamos ainda atrelados à arte clássica, onde estilos deveriam ser seguidos e os suportes eram limitados. No No Brasil, já em 1922, na Semana da Arte Moderna, os artistas começam a manifestar sua insatisfação com modelos pré-concebidos de arte e apresentam seus trabalhos com estilos inusitados, escandalizando alguns artistas tradicionais. Em meados de 1960, Marcel Duchamp revoluciona completamente o conceito do que é arte, transformando objetos do uso cotidiano em obra de arte. 

Em “Dicotômicos”, nome dado a nossa instalação artística, apresentamos a Arte Contemporânea através de elementos escultóricos que se prestam a estimular reflexões no público. E esperamos que esse público espectador da obra torne-se um partícipe para que assim, verdadeiramente, a obra se complete, se realize de fato. 

Vimos que no dia da abertura desta Mostra de Arte Contemporânea, as pessoas que lá estiveram, entraram, olharam, não entenderam nada ou quase nada, mas de pouco a pouco, a partir da manipulação dos elementos (“pingos”, por nós conceituados) eles puderam sentir a suavidade desses elementos, a impregnação das cores e os aromas que deles emanavam. Acreditamos, que a logo a seguir começaram a entender a razão ou o conceito que a obra quis traduzir. E do outro lado da sala, vimos outro elemento escultórico formado por pedras (paralelepípedos) empilhadas em forma de um edifício, contornada por água, onde tornava-se dessa forma, uma ilha. É uma metáfora simbolizando o homem contemporâneo, apressado, insensível, endurecido, frio diante da vida, impassível diante da dor, do sofrimento... não reage mais aos estímulos sensoriais, e o que é pior, isola-se, torna-se “ilha”, impedindo ou dificultando o acesso ao seu próximo. Aí está a explicação das expressões contidas no banner que esteve afixado na parede: cor e não-cor, tangível e não-tangível, ruído e silêncio, presença e ausência... é a dicotomia da obra, razão pela qual intitulamos este trabalho “DICOTÔMICOS” que teve como curador o Prof. Ms da UFES Marcos Martins.

Esta instalação estará ainda aberta ao público na terça e quarta-feira próximas, dias 5 e 6 de junho, nos horários de 9h às 11h e 13h às 16h. 

É uma ótima oportunidade para toda a comunidade conhecer, e principalmente para professores levarem seus alunos a dialogar sobre a Arte que aliás, é uma disciplina que está sendo muito cobrada em avaliações de larga escala, principalmente nos exames do ENEM.